EXTRACTOS DA IRRACIONALIDADE DO TERRORISMO

GOSTAVA DE PARTILHAR NESTE CANTINHO O DIÁLOGO QUE MANTIVE COM O AMIGO LUÍS SIO "NGUXI", A PROPÓSITO DE UM ATENTADO OCORRIDO RECENTEMENTE JUNTO À FRONTEIRA ENTRE ANGOLA E O KONGO, NA PROVÍNCIA KABINDA. O MESMO FOI PERPRETADO POR ELEMENTOS APARENTEMENTE LIGADOS A UMA ORGANIZAÇÃO MILITARIZADA SEPARATISTA E TEVE COMO ALVO A SELECÇÃO DE FUTEBOL DO TOGO, QUE SE DIRIGIA ÀQUELA PROVÍNCIA, ONDE PARTICIPARIA NO CAMPEONATO AFRICANO DAS NAÇÕES, CAN 2010

 TRATA-SE POIS, DE UM TRISTE DRAMA (O PLEONASMO PARECE INEVITÁVEL) 

ACTO PRIMEIRO

LUÍS SIO

 

“Bom dia Caríssimo Amigo

Já viu como os Cabindas metralharam o Auto-Carro do Togo! Lamentável eu sei. Mas, Portugal é que teve a culpa ao incluir Cabinda em Angola…

Como é sabido, o Régulo de Cabinda, em tempos idos, pediu ao Rei Português da altura – não me lembro do nome – para ser um Protectorado da Coroa Portuguesa… o tempo foi passando e, Portugal esqueceu esse acordo escrito e firmado entre as duas partes. Com os tempos conturbados das Independências, ninguém se lembrou mais desse acordo excepto os Cabindas!

 Há uns anos raptaram alguns trabalhadores Portugueses e agora isto que envergonha a Comunidade Internacional! Mas Eles têm a sua razão; os acordos são para serem cumpridos. E já que Portugal, enquanto Estado, se esqueceu de cumprir o que estava escrito e selado entre as duas partes…

Mas, mesmo assim, não deviam atacar um veículo que transportava atletas. LAMENTÁVEL sem dúvida e culpas do meu País que não soube Honrar compromissos firmados.

 Abraço

do Amigo Luís Sio”

 

ACTO SEGUNDO

NGUVULU MAKATUKA

 

Realmente o que sucedeu foi inqualificável. Do meu ponto de vista estas situações devem ser encaradas e tratadas como terrorismo puro e simples. Entendo o seu ponto de vista, numa perspectiva de análise histórica. Porém, factos históricos não devem ser usados para sustentar posições políticas que – na verdade –   são em grande medida motivadas e alimentadas por interesses essencialmente financeiro-económicos.

Lembra-se o meu amigo da brilhante posição que defendeu sobre qual o modo saudável de nos relacionarmos com a historia, sem nos servirmos dos factos do passado para culpar os outros de situações do presente? Pois, este parece ser um caso típico de utilização destorcida dos factos históricos. Entendo que os Acordos firmados por Portugal foram apenas uma das muitas estratégias de que os então governantes lançaram mão para ocupar os territórios que depois viriam a constituir Angola. Não podem ser hoje invocados perante Portugal, tão pouco perante o Estado Angolano, nem mesmo em organismos que constituem a chamada Comunidade Internacional. De resto, Cabinda foi sendo tratada como sendo Angola muito antes de ter sido conquistada a independência e nunca nessa altura os Kabinda ou Imbinda invocaram (que eu saiba, pelo menos) os agora sempre referidos acordos de Simulambuku e outros eventuais documentos com pretensão de validade e oponibilidade jurídica de radical tendencialmente internacional. Mesmo que esteja equivocado com relação a terem na altura invocado tais documentos, continua sendo verdade que não foi isso que levou o país a conquistar a sua autodeterminação/independência. O próprio território que agora dizem reclamar não foi tornado independente por essas organizações, mas pela lutas de todos os angolanos cujo sangue é simbolizado no vermelho da nossa bandeira.


 Entendo a sua posição, inclusive porque sei que o meu amigo é da paz e da concórdia a mais de cem por cento. Mas, não podemos deixar de observar que dar margem e espaço as posições que essa gente defende, levaria à inevitável e para todos prejudicial desestabilização do país e comprometimento da integridade do território. Foi justtamente pensando no bem maior (a paz, a estabilidade e outros bens inerentes à conservação dos estados enquanto comunidades politico-intitucionalmente organizadas) que tanto a OUA quanto a sua substituta (União Africana) adoptaram nos seus documentos constitutivos o princípio do utis possidetis, fazendo com que sejam para todos os efeitos reconhecidas e mantidas as fronteiras existentes em que cada país africano na altura em que fosse proclamada a sua independência. Pode não ser o critério mais justo, mas funciona e permite (tem permitido) forjar as novas nações sobre um lastro relativamente estável.

 A aceitar se os argumentos dos Imbinda, daqui a um par de dias uns quantos naturais das Lundas resolvem invocar um tal Acordo de Protectorado… Uns tipos de Benguela "descobrem"  que inicialmente os portugueses apenas consideravam Angola a parte litoral norte e que abaixo do Kwanza era território autónomo, com a designação de Reino de Benguela (Ombaka?)… O pessoal de Malanje "resolve" proclamar uma República da Matanba, reclamando os territórios da Rainha Ginga… E aí teríamos o pais todo fragmentado.

 Parece anedota ou caricatura, mas o Estado não pode deixar de pensar nessas coisas todas. Uma vez mais, acho que são terroristas. E que a causa deles e manifestamente patrimonial, com evidente influência de interesses estrangeiros que não cabe aqui referir.

 Obrigado, amigo, pela sua solidariedade. Na verdade, este incidente caiu muito mal a todos os angolanos. Arrisca a comprometer o grande investimento feito por conta do CAN, como diria os brasileiros. Particularmente, a minha sensibilidade de esquerda sugere que o investimento feito nos Estádios  de Futebol poderia estar melhor empregue em estradas, saneamento básico e construção de casas sociais/verdadeiramente de baixo custo, a serem distribuídas com critérios justos e transparente, privilegiando os mais desfavorecidos. Ainda asssim,  não posso deixar de reconhecer que estes investimentos poderão produzir (já há sinais disso) uma externalidade bastante positiva em termos sociais.

 Grande abraço

Esta entrada foi publicada em Notícias e política. ligação permanente.

8 respostas a EXTRACTOS DA IRRACIONALIDADE DO TERRORISMO

  1. Tânia diz:

    Amigo Nguvulu assino por baixo das suas palavras, realmente não podemos nos servir de factos históricos para justificar os nossos actos do presente.Sempre a considera-lo

  2. mariana diz:

    MAKATUKA, O COMENTÁRIO É DE EXCELENTE PONTO DE VISTA, A VERDADE É QUE NUNCA DEVEMOS DEIXAR QUE O NOSSO LINDO E RICO PAÍS SE FRAGMENTE. ESPERO QUE CASOS COMO ESTES (TERRORISMO) NÃO VOLTEM A ACONTECER, OS CABINDENSES DEVEM RECONHECER QUE SÃO ANGOLANOS, É ISSO…. ESPERO TER MAIS OPORTUNIDADES DE LER OS TEUS COMENTÁRIOS, SÃO FONTES DE CONHECIMENTOS PARA MIM. BJ GRANDE

  3. Graciete diz:

    Oi caro CassomaConcordo pelanamente com os teus argumentos . Não a razões plausiveis que possam justicar ao sucedido em Cabinda com a selecção do Togo.Foi sim acto de terrorismo. Não se pode aproveitar de eventos como estes usando actos hediondos para justicar uma parcela de terra que alegam ser ou merecer independencia ao abrigo de acordos que diz nao estarem a ser cumpridos. Existem outros meios para puderem efectuar as alegadas reveindicações e não num acto como este em todo mun do quer directa ou indirectamente esteve envolvido. Eu como outros angolanos ficamos chocados. Isso é imperdoavel! Ceifou vidas que como nós gostariam de vibrar e viver a festa do futebol africano. Acho que está no hora de se resolver de uma vez por todas essas situação. porque esses bandos podem ainda fazer ataques piores seja em cabinda como noutras regioes do pais. è necesserio se acautelar isso.Um abraçoViva o CANA festa é nossa!

  4. Nguimba diz:

    "Donde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura, não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros gerreiam?" Escritor biblico Tiago.O terrorismo deve ser combatido veementemente. Não se pode tolerar actos bárbaros e vergonhosos. Um abraço

  5. Alpha diz:

    Meu caríssimo amigo Makatuka , por estar um pouco afastada dos noticiários, não estava a par do ocorrido. Apenas agora tomei conhecimento do triste, bárbaro episódio: o atentado à Seleção de Togo. Transcrevo, porém, a nota de repúdio emitida pelo nosso Ministério das Relações Exteriores à Embaixada de Angola e que sintetiza o meu pensamento em relação a esta questão:"Ministério das Relações ExterioresAssessoria de Imprensa do GabinetePalácio ItamaratyTérreoBrasília – DFCEP: 70170-900Telefones: 0(xx) 61-3411-6160/2/3Fax: 0(xx) 61-3411-8002E-mail: imprensa@mre.gov.brNota nº 4 – 09/01/2010 Atentado à seleção nacional do TogoO Governo brasileiro condena veementemente o atentado levado a cabo por separatistas do enclave de Cabinda, em Angola, contra o ônibus que transportava a seleção nacional de futebol do Togo.O Brasil, além de repudiar o uso da violência, deplora que atletas e eventos esportivos sejam utilizados como alvo para a promoção de objetivos políticos. O Governo brasileiro expressa sua solidariedade aos povos togolês e angolano".Na impossibilidade de discutir outras questões ligadas ao aspecto histórico – que desconheço – envio minha solidariedade ao povo angolano. Para você, meu querido amigo, deixo-lhe meu sincero e fraternal abraço. Parabéns pela excelente postagem-denúncia.

  6. Denise diz:

    Concordo plenamente consigo meu caro amigo e colega Kassoma, eu até acho que esta gente de Cabinda devem ter feito muita pressão para estarem entre as poucas Províncias angolanas a receberem os jogos do CAN, e nem mereciam ter este previlégio, com este tipo de comportamento… Não passam de um bando de tribalistas, separatistas e egocêntricos, porque se não fosse pelo petróleo que têm nem estariam a piar… Deviam é ter vergonha, porque os fins nem sempre justificam os meios. Querem chamar a atenção, o que querem afinal? Mereciam é uma boa lição. E nem sei que tipo de independência sonham porque mais vale fazerem parte de uma Angola, ainda que com os prolemas que tem, e beneficiarem da protecção do Estado Angolano, do que serem deixados a sua sorte e serem engolidos por estes estrangeiros capitalistas, oportunistas, enfim…Aos meus caros Cabindenses, a independência que sonhais, infelizmente, é uma grande utopia… Tomem nota disso, lutem sim, de forma justa e pacífica para beneficiarem dos direitos que todo angolano merece e almeja, para que Angola seja um país melhor, mais desenvolvido, com mais oportunidades, menos pobreza, mais ensino, mais saúde, enfim…Denise Paiva Ventura

  7. Guido de Jesus diz:

    Mais palavras para que!

  8. Céu diz:

    Não estar aquiSÓNão ser assim EUSer sem sentirSEITer um viverMEUVoar em plenoSONHOOBRIGADA PELOS TRÊS ANOS DO MEU ESPAÇOOBRIGADA PELO TEU CARINHO E AMIZADEFELIZ FIM DE SEMANABEIJINHOS DA AMIGA___$$$$$$$$______$$$$$$$$§_$$$$$$$$$$$$__$$$$§§(¯`v´¯)$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$(¯`(●)´¯)$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$(_.^._)$$$$$$$$$$$$$$$$$$$(¯`v´¯)$$$$$_$$$$$$$$$$$$$$$(¯`(●)´¯)$$$___$$$$$$$$$$$$$$(_.^._)$$______$$$$$$(¯`v´¯)$$$$$________$$$(¯`(●)´¯)$$___________$(_.^._)$____________$$$$$$______________$$

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s